Entenda O Que É Ciberataque E Como Funciona

ciberataque
banner-agendamento-online

Em um mundo cada vez mais conectado e digitalizado, o ciberataque é uma ação que cresce todos os anos, gerando danos e prejuízos financeiros significativos para empresas, organizações e instituições governamentais de todos os portes e setores. 

Para se ter uma ideia, uma pesquisa feita pela empresa de segurança Proofpoint aponta que, ao menos, 78% das empresas instaladas no Brasil relataram prejuízos financeiros por conta de ataques cibernéticos em 2022.

Por isso, entender o que é ciberataque, quais os mecanismos mais usados, como funciona e como proteger os arquivos e informações da sua empresa é essencial para evitar o comprometimento de dados sensíveis e até danos financeiros. 

Pensando nisso, elaboramos um artigo com tudo que precisa saber para tornar a sua empresa mais segura e evitar que os ciberataques aconteçam no seu negócio. Confira!

O Que É Ciberataque?

Ciberataque é um termo relacionado com uma tentativa criminosa de comprometer, danificar ou acesso não autorizado em sistemas, arquivos ou informações, com o objetivo de controlar computadores, sistemas, redes, dispositivos, etc. 

Os ataques maliciosos exploram as vulnerabilidades dos sistemas de uma empresa com as mais variadas intenções, como sequestro e roubo de dados sensíveis, paralisação de atividades ou serviços, disseminação de malware ou outras ações danosas. 

Quais Os Principais Tipos De Ciberataques?

Nas últimas décadas, surgiram os mais variados tipos de ciberataques, justamente para conseguir ter acesso a sistemas e dispositivos das empresas. 

Entre os métodos de ataques cibernéticos mais usados, podemos citar phishing, malware, ransomware, ataque denial-of-service (DDOS) distribuído , injeção de Sql e engenharia social.

Confira abaixo as características e formas de atuação de cada um dessas ações:

Phishing

O phishing é um tipo de ciberataque, que ocorre normalmente a partir da abertura de um e-mail.

Sendo assim, no momento que um usuário clica em um link do e-mail, ele é redirecionado de forma automática para uma página onde os dados são roubados pelos criminosos. 

Essa ação é mais fácil de ser identificada, pois, os e-mails, muitas vezes, possuem ícones suspeitos ou faltam dados, destoando do padrão utilizado na página original. 

Malware

Malware é uma tradução e abreviação de “software malicioso”, refere-se a qualquer software criado especificamente para prejudicar ou explorar qualquer dispositivo, rede, serviço ou programa. 

Ele pode incluir vírus, worms, trojans, ransomware, spyware e outros tipos de software nocivos. A intenção por trás de um malware varia, mas pode envolver roubo de dados, corrupção de sistemas ou até mesmo controle remoto de dispositivos infectados.

Esse tipo de software é utilizado em ações de ciberataque para comprometer o funcionamento, gerar bugs e roubar dados das empresas. 

Ransomware

O ransomware é um ciberataque que pode bloquear serviços de um sistema operacional para roubar informações sensíveis de uma empresa. Após comprometer o sistema operacional, o atacante criptografa os arquivos e se apresenta como sequestrador dos dados.

De maneira geral, a intenção é obrigar a empresa a pagar um determinado valor financeiro para resgatar as informações.

Nesse caso, normalmente, os criminosos exigem que o resgate seja pago com criptomoedas, já que esse tipo de ativo é mais difícil de ser rastreado, evitando que eles sejam localizados pelas autoridades.

Ataque Denial-Of-Service (Ddos) Distribuído

Outro tipo de ciberataque é o Ataque Denial-Of-Service (Ddos) Distribuído onde diversos  dispositivos são utilizados para sobrecarregar um sistema, que pode ser um servidor ou rede, provocado por um volume significativo de tráfego de dados. 

A finalidade desse ciberataque é deixar os serviços de sites, sistemas e aplicações indisponíveis para os usuários.

Este ataque ocorre através de muitos computadores zumbis infectados com software malicioso que disparam ataques e causam uma sobrecarga nos recursos dos sistemas atacados e acarretam a suspensão ou queda de serviços.

Injeção De SQL

A injeção de SQL é uma ação de ciberataque que insere códigos SQL em um site para violar a segurança do sistema e acessar dados protegidos.

Ocorre quando o invasor consegue inserir ou “injetar” código SQL malicioso em uma consulta através da entrada de dados de um aplicativo.

Se o aplicativo não verifica adequadamente essas entradas, esse código SQL injetado pode ser executado pelo banco de dados, levando a uma variedade de problemas, desde o vazamento de dados até a manipulação ou deleção de registros.

Essencialmente, o ataque explora vulnerabilidades no código do aplicativo que não tratam adequadamente as entradas do usuário antes de incluí-las em consultas SQL. Isso pode permitir que um atacante:

  • Acesse dados sensíveis do banco de dados.
  • Modifique ou delete registros.
  • Execute operações administrativas no banco de dados.
  • Escale privilégios, em que um usuários com poucos poderes passe a ter superpoderes. 

Engenharia Social

Engenharia social refere-se às técnicas que manipulam pessoas para obter informações confidenciais ou acesso a sistemas.

Ao contrário dos métodos que dependem de vulnerabilidades técnicas ou falhas de software, a engenharia social explora vulnerabilidades humanas, como confiança, medo ou curiosidade.

O objetivo é frequentemente obter informações como senhas, detalhes de cartões de crédito ou outras informações sensíveis.

Os atacantes podem usar várias abordagens, incluindo se passar por um funcionário, enviar emails de phishing ou persuadir uma vítima por telefone.

Devido à sua natureza, é essencial treinar as pessoas para reconhecer e resistir a essas tentativas, já que a prevenção técnica nem sempre é eficaz contra tais ataques.

Qual O Objetivo Dos Ciberataques?

Os ciberataques podem ter os mais variados objetivos, porém, todos começam com a exploração maliciosa de computadores, servidores, dispositivos, sistemas e redes de empresas, instituições ou organizações governamentais. 

Uma das principais intenções dos criminosos é roubar dados valiosos, como dados pessoais de clientes, diretores, funcionários, etc, informações financeiras ou segredos comerciais, para vender ou usá-los para extorsão.

Muitos ciberataques visam obter lucro direto, como roubando informações de cartões de crédito ou comprometendo contas bancárias. O ransomware, por exemplo, bloqueia o acesso dos usuários aos seus próprios dados até que um resgate seja pago.

Os ciberataques também têm o objetivo de promover a interrupção de serviços essenciais, como sistemas bancários, energia, saúde, internet ou transporte, provocando impactos no dia a dia da população e também na economia de um país.

A disseminação de malware e ransomware também estão entre os objetivos dos ciberataques

Além disso, os ciberataques também podem ser motivados por questões políticas com a finalidade de espionagem ou desestabilização de governos e instituições.

A espionagem tanto a nível empresarial quanto governamental, os atacantes podem buscar informações confidenciais para obter vantagem competitiva ou estratégica.

A disseminação de propaganda ou desinformação podem ser praticadas em ciberataques, buscando comprometer plataformas de mídia ou sites para espalhar suas mensagens ou criar confusão.

Em algumas comunidades hackers, o ganho de reputação por executar um ciberataque bem-sucedido pode conferir status ou reconhecimento ao atacante.

Grupos ou indivíduos podem conduzir ataques para promover uma causa política, social ou ambiental, visando chamar atenção para uma questão ou punir entidades percebidas como adversárias. 

Há notícias de grupos rivais de hackers que competem entre si, atacando os recursos uns dos outros.

A guerra cibernética entre governos também pode ser considerada como ciberataques como uma extensão de seus esforços militares ou estratégicos, seja para espionagem, desabilitação de infraestruturas inimigas ou desinformação.

De forma geral, os objetivos dos ciberataques são variados, mas normalmente estão relacionados com ganhos financeiros, perturbação, espionagem, influência política, etc.

Quais Os Impactos Dos Ciberataques?

Os ciberataques podem provocar os mais diversos impactos negativos em empresas, governos  e também na sociedade em geral.

Um deles é o roubo de dados sensíveis, que podem envolver informações financeiras de uma organização, segredos comerciais ou industriais que podem prejudicar uma empresa ou mesmo informações de propriedade intelectual.

Há alguns tipos de ataques, como de negação de serviço (DDoS) que podem sobrecarregar sistemas e redes de uma empresa, promovendo a suspensão de serviços, como sites, redes, aplicativos e sistemas essenciais para determinadas operações.

Além disso, um ciberataque também tem a finalidade de extorsão usando, por exemplo, o 

ransomware. Nesse caso, esse tipo de ataque criptografa informações e sistemas, exigindo depois que a empresa alvo pague um valor de resgate para obter novamente o acesso.

Os ciberataques também podem ser usados para promover a invasão de sistemas para roubar dados sensíveis com finalidade de espionagem.

Somado a isso, essas ações também podem ser usadas para manipular dados em sistemas, como bancos de dados. O objetivo principal é provocar confusão, desinformação ou mesmo danos financeiros.

Os ciberataques também podem disseminar malware, como vírus, worms e trojans, que podem ser capazes de danificar sistemas e roubar dados.

Sem contar que essas ações podem provocar ainda danos à reputação de uma empresa, com o vazamento de dados, impactos na economia, acarretando em perdas financeiras, prejudicando atividades de empresas importantes e que podem afetar o mercado em que atuam.

Os ciberataques também são usados para promover ameaças à Segurança Nacional, divulgação de dados, que levam a  roubos de identidade, fraude financeira e dados para as vítimas.

Somado a isso, essas ações também podem manipular a opinião pública ao disseminar dados falsos ou distorcidos para influenciar a opinião pública de maneira negativa. 

Como Proteger A Sua Empresa De Um Ciberataque?

Para proteger a sua empresa de ciberataque, é importante adotar algumas medidas de segurança. Confira quais são elas:

Atualização Dos Equipamentos e Sistemas

A atualização contínua de equipamentos e sistemas é uma medida fundamental para proteger a sua empresa contra ciberataques, pois os ativos de TI dispositivos trazem frequentemente atualizações contra ameaças digitais, que estão cada vez mais sofisticadas. 

As atualizações de segurança cibernética são frequentemente lançadas por desenvolvedores de software e hardware para corrigir vulnerabilidades e melhorar a segurança de seus produtos.

Essas atualizações são cruciais para proteger os sistemas contra ameaças emergentes. 

Abaixo estão alguns exemplos gerais de tipos de atualizações de segurança cibernética:

  • Patches de Sistema Operacional: Fabricantes como Microsoft, Apple, e Linux distribuem regularmente patches para seus sistemas operacionais para corrigir falhas de segurança. Patches são pequenas correções de softwares.
  • Atualizações de Software de Antivírus: Programas antivírus frequentemente atualizam suas definições de vírus para detectar e bloquear malwares recém-descobertos.
  • Atualizações de Aplicativos: Softwares como navegadores, programas de edição de texto, e utilitários diversos lançam atualizações para corrigir vulnerabilidades de segurança que possam ter sido descobertas.
  • Firmware: Fabricantes de hardware podem lançar atualizações de firmware para corrigir vulnerabilidades que possam permitir ataques, como invasões ou ataques de negação de serviço. Firmware é um tipo de software embutido em hardware que fornece as instruções operacionais básicas para que esse hardware funcione. Ele age como uma interface entre o hardware do dispositivo e o software que roda no hardware. São exemplos de firmwares o BIOS e UEFI.
  • Plug-ins e Extensões: Softwares como o Adobe Flash Player, Java e extensões de navegadores, muitas vezes têm vulnerabilidades que exigem patches regulares.
  • Sistemas de Gerenciamento de Conteúdo e Websites: Plataformas como WordPress, Joomla, e Drupal frequentemente liberam atualizações de segurança para proteger contra vulnerabilidades que podem permitir, por exemplo, injeções SQL ou ataques de cross-site scripting.
  • Aplicações de Banco de Dados: Softwares como MySQL, Oracle, e SQL Server podem lançar atualizações para corrigir falhas que permitiriam acesso não autorizado ou exfiltração de dados.
  • Atualizações de VPN: Para garantir a segurança e a privacidade dos dados transmitidos, os softwares de VPN podem receber atualizações que melhoram sua criptografia ou corrigem falhas.
  • Atualizações de Dispositivos Móveis: Fabricantes de smartphones e tablets, como Apple (iOS) e Google (Android), frequentemente lançam atualizações para corrigir vulnerabilidades em seus sistemas.
  • Patches para Infraestrutura Crítica: Isto pode incluir atualizações para sistemas de controle industrial (ICS) ou SCADA, que são críticos para muitas infraestruturas nacionais.

É fundamental para usuários e administradores de TI manterem seus sistemas e aplicativos atualizados.

Muitos ciberataques exploram vulnerabilidades conhecidas para as quais já existem patches disponíveis, mas que não foram aplicados pelo usuário final.

Automatizar o processo de atualização, quando possível, pode ajudar a garantir que os sistemas permaneçam protegidos contra ameaças conhecidas

Essas atualizações implementam novas medidas de segurança que fazem a correção de brechas em sistemas, reduzindo o risco de exploração por hackers. 

Sem contar que essas atualizações implementam melhorias em ações defensivas, como detecção de comportamento suspeito e bloqueio de tráfego malicioso.

Por isso, faça sempre as atualizações sugeridas para garantir a integridade dos dados e proteger a sua empresa.

Usar Senhas Longas E Complexas

Outro cuidado importante para proteger sua empresa de ciberataque é usar senhas complexas e longas, pois, assim, elas dificultam a ação dos hackers em romper a segurança. 

Sendo assim, o ideal é utilizar senhas com uma variedade de caracteres, como letras maiúsculas e minúsculas, números e símbolos, que são formatos mais resistentes contra a tentativa de invasões, minimizando a possibilidade dos criminosos de descobrir os códigos de acesso. 

Adotando senhas longas e complexas, você cria uma camada robusta de defesa contra ciberataques, protegendo seus sistemas e dados sensíveis.

Denunciar Às Autoridades

Outra orientação para garantir a proteção da sua empresa contra ciberataques é denunciar as autoridades sempre que constatar uma tentativa de ataque, pois isso possibilita uma resposta coordenada para evitar danos e responsabilizar os criminosos. 

Além disso, ao fazer uma denúncia de ataques, as autoridades conseguem identificar e rastrear os hackers a partir de investigações direcionadas, o que aumenta a possibilidade de capturar os criminosos. 

Somado a isso, as autoridades podem fornecer orientações técnicas e também legais para reduzir os impactos ou prevenir futuros ataques. 

Comprovar A Autenticidade De Links E Perfis

Uma medida essencial de proteção contra um ciberataque é comprovar a autenticidade de links e perfis antes de abrir ou interagir com o conteúdo. 

Esse cuidado é importante porque muitos ataques são realizados por meio de phishing, engenharia social e outros métodos que podem ser enviados por e-mail ou redes sociais. 

Por isso, oriente sempre os colaboradores a verificar a legitimidade de links antes de clicar em e-mails suspeitos e confirmar a real autenticidade de páginas ou perfis, que pedem dados confidenciais. 

Com isso, você consegue diminuir as chances da empresa ter seus dados invadidos, comprometidos, roubados ou sequestrados.

Duplo Fator de Autenticação

A implementação do duplo fator de autenticação também é uma medida que protege a sua empresa contra ciberataques, já que esse procedimento adiciona uma camada extra de segurança.

Esse sistema exige o fornecimento de uma senha e também inclui um segundo fator de autenticação, que pode ser um código temporário enviado por mensagem de texto ou um aplicativo de autenticação.

Com isso, é possível dificultar ainda mais as tentativas de acesso aos sistemas, redes ou aplicativos. 

Treinamento de Funcionários: é fundamental para prevenir ciberataques porque os seres humanos são frequentemente o elo mais fraco na segurança cibernética. Aqui estão as razões rápidas para sua importância:

Conscientização: Muitos funcionários podem não estar cientes das várias ameaças cibernéticas. O treinamento ajuda a educá-los sobre os riscos existentes e emergentes.

Prevenção de Engenharia Social: Ataques como phishing e spear-phishing visam diretamente os indivíduos. Funcionários treinados são mais capazes de reconhecer e evitar essas tentativas.

Uso Seguro de Tecnologia: Ensinar práticas corretas, como a criação de senhas fortes, atualização regular de software e uso seguro de dispositivos móveis, pode prevenir muitos vetores de ataque.

Resposta a Incidentes: Funcionários treinados podem reconhecer rapidamente sinais de um ciberataque e saber como responder, minimizando o impacto.

Proteção de Ativos da Empresa: Informações confidenciais, propriedade intelectual e dados de clientes são valiosos. Funcionários educados em práticas seguras ajudam a proteger esses ativos.

Cumprimento de Regulamentos: Em muitos setores, existem regulamentações que exigem treinamento e conscientização em segurança cibernética.

Em suma, enquanto ferramentas e tecnologias de segurança são essenciais, a conscientização e o comportamento dos funcionários desempenham um papel crucial na defesa contra ciberataques.

Casos Famosos De Ciberataques

Os ciberataques, infelizmente, são muito comuns, hoje em dia, em empresas de todo o mundo. Selecionamos dois dos casos mais famosos para que você possa entender como ocorrem as ações dos hackers. Confira:

Ransomware Lockbit

Em maio de 2023, um indivíduo brasileiro foi acusado de envolvimento em atividades de ransomware contra diversas empresas e organizações nacionais e internacionais, como o Banco BRB (Banco de Brasília). 

Inclusive, o  NCYBER (Núcleo Especial de Combate aos Crimes Cibernéticos) emitiu um mandado de prisão contra ele.

Para você entender, o ataque do ransomware LockBit explora as vulnerabilidades de sistemas por meio de engenharia social, como phishing, para infectar as redes de empresas e organizações.

Ao acessar esses sistemas, o vírus se propaga e criptografa os dados. Depois disso, o criminoso envia uma mensagem de resgate, instruindo sobre o  pagamento de resgate, que deve ser feito em criptomoedas para obter acesso novamente ao sistema. 

Wannacry

Em 2017, o WannaCry protagonizou um dos mais impactantes ataques de ransomware já registrados na história, deixando prejuízos significativos. 

Esse ataque provocou danos financeiros que chegaram a marca de USD 4 bilhões, com um resgate de aproximadamente USD 300 exigido para liberar o acesso para cada sistema afetado.

A disseminação do WannaCry ocorreu a partir de e-mail malicioso com phishing. Mais de 200 mil indivíduos e organizações em todo o planeta foram atingidos, incluindo empresas renomadas como FedEx, Nissan e Renault. 

Esse ransomware explorava uma brecha de segurança no sistema operacional Windows.

Qual A Importância Da Segurança Cibernética?

Adotar medidas de segurança cibernética é essencial para garantir a proteção de dados ou arquivos sensíveis de uma empresa contra ciberataques que podem provocar roubo de dados, interrupção de serviços, prejuízos financeiros e ou à reputação. 

Além de preservar a privacidade e a integridade de dados, a segurança cibernética garante as operações de uma empresa, assegurando a manutenção de infraestruturas essenciais, como energia, saúde e transporte. 

Em situações de ameaças cibernéticas, as medidas de segurança cibernética são essenciais para as empresas, evitando roubo de dados, prejuízos financeiros, interrupção de operações, etc. 

Conclusão

Ciberataque pode comprometer, danificar ou acessar arquivos ou informações sensíveis da sua empresa para controlar computadores, sistemas, redes, dispositivos ou mesmo para roubar e sequestrar dados.

Por isso, adotar medidas contra ciberataques nos sistemas e redes da sua empresa é essencial para proteger dados sensíveis e garantir a continuidade das atividades. 

Por isso, leve sempre em consideração as dicas que trouxemos neste artigo e proteja a sua empresa. 

Uma das formas de proteger os seus dados, independentemente da situação, é adotar estratégias de backup em nuvem, um sistema altamente seguro e eficiente na realização de cópias de segurança de arquivos, sistemas ou máquinas virtuais da sua empresa.

Quer proteger os dados da sua organização? Então, conheça a HLTI, somos uma empresa especializada em backup em nuvem e nos produtos Backup PRO e Veeam Backup & Replication.

banner Veeam Prancheta 1 copia

Essas tecnologias são compatíveis com diversos sistemas, aplicações, bancos de dados e virtualização, proporcionando a segurança dos dados da organização. Acesse o nosso site agora mesmo e encontre as melhores soluções para o backup de dados da sua companhia.

2022. Todos os direitos reservados. Criado por @setezeromeia.