Mitigar O Risco: Descubra O Que É E Como Fazer

mitigar-riscos

Independentemente do perfil da organização ou do ramo de atuação, adotar estratégias para mitigar o risco, não importa qual seja, é mais do que importante, é uma regra para empresas que querem evitar danos à imagem, à receita e às operações.

Além disso, essas ações atuam também na prevenção financeiras, contribui para a sustentabilidade e a resiliência de organizações diante dos mais diversos desafios e cenários. 

Hoje em dia, as empresas que têm a capacidade de antecipar e reduzir possíveis impactos negativos promovem a confiança do mercado, dos parceiros, clientes, stakeholders, etc, obtendo, assim, uma base sólida para o sucesso a longo prazo.

Quer entender o que é mitigar o risco, quais os problemas que podem ser evitados e qual a sua importância no contexto organizacional? Continue lendo o nosso artigo!

O Que É Mitigação De Risco?

A mitigação de risco está relacionada a ações com o objetivo diminuir ou controlar os riscos e impactos que podem influenciar negativamente os objetivos de uma organização. 

Esse processo envolve a identificação proativa, análise e a implementação de ações para minimizar a possibilidade de ocorrência de eventos indesejados, reduzindo a sua gravidade, caso ocorram.

Mitigar o risco é essencial para os mais diversos setores, como as áreas de finanças, segurança, saúde e serviços essenciais, principalmente, porque essas ações evitam prejuízos financeiros, garantindo a continuidade das atividades e promovendo maior resiliência empresarial.

Nesse sentido, há várias formas de mitigar o risco, como investir em medidas de segurança avançadas, desenvolvimento de planos de contingências e estratégias preventivas, etc.

Isso pode incluir ainda a diversificação de investimentos, a implementação de recursos de segurança, o desenvolvimento de planos de contingência e outras ações preventivas. 

Vale lembrar que mitigar e evitar riscos são ações diferentes. A mitigação de riscos, por exemplo, tem como foco a diminuição substancial da probabilidade de situações de risco por meio de ações de contingência. 

Por outro lado, o ato de evitar riscos significa promover ações para eliminar, de forma preventiva o risco, como, por exemplo, não aceitar um acordo ou a adoção de uma estratégia. 

Qual É A Importância De Mitigar Riscos Na Sua Empresa?

Mitigar o risco é uma maneira de promover a proteção, a sustentabilidade e o sucesso de um negócio a longo prazo e em diferentes cenários.

Sendo assim, ao identificar potenciais ameaças e desenvolver uma gestão proativa, é possível prevenir perdas financeiras, preservar a imagem de uma empresa, garantir a continuidade das operações e muito mais. 

A mitigação de riscos também auxilia na tomada de decisões mais assertivas, antecipando-se aos desafios e ajustando suas estratégias conforme necessário, o que é ainda mais importante em negócios mais competitivos e ambientes de incertezas, como o setor financeiro.  

Mitigar o risco também pode trazer benefícios no que tange ao alcance das metas. Além disso, contribui para um controle mais efetivo dos mais variados processos de um negócio, melhorando, inclusive, a aprendizagem organizacional.

Sem contar que as ações de mitigação de riscos também podem gerar mais confiança dos stakeholders (clientes, investidores e parceiros) pois a atuação da empresa prioriza medidas preventivas e precisas em diferentes contextos. 

Também promove posicionamento mais competitivo no mercado, explorando as oportunidades certas e atuando de maneira muito mais resiliente diante de diversas situações.

Quais Riscos Podem Ser Mitigados?

No mundo organizacional, o que não faltam são riscos que podem ser mitigados. Listamos abaixo os principais tipos de riscos que a sua empresa pode enfrentar, confira:

Riscos Cibernéticos

Com o avanço da digitalização, as empresas ficaram vulneráveis a ameaças virtuais como vazamento de dados, exposição da privacidade, invasões e sequestro de dados

A gravidade desses riscos varia de casos mais simples até impactos mais graves, que podem comprometer a operação de uma empresa ou que promovam o vazamento de dados, por exemplo.  

A mitigação desses riscos exige investimentos em segurança da informação, controle de acesso, treinamento de pessoal, monitoramento constante e a implementação de políticas de cibersegurança.

Riscos Regulatórios

Estes riscos estão relacionados a mudanças nas leis e regulamentos, que afetam a operação de uma empresa. 

Sendo assim, esses riscos podem ser mitigados por meio da implementação de processos completos e eficientes de monitoramento e atualização constante em relação às mudanças legislativas. 

Normalmente, esse tipo de risco surge quando não há uma certificação adequada dos produtos e serviços de uma empresa. 

Por isso, para mitigar o risco em potencial, é preciso adotar política de conformidade alinhada com os interesses da sua empresa e com as regulamentações vigentes do setor. 

Riscos Fiscais

Os riscos fiscais envolvem ameaças relacionadas a questões tributárias, normalmente, estão associadas com a falta de pagamento de tributos ou mudança da legislação.

No Brasil, eles ainda são mais evidentes em razão das leis e modelos de tributação complexos e, muitas vezes, burocráticos, pois cada estado e município adota suas próprias regras. 

Dessa forma, esse é um dos riscos que podem afetar empresas de diferentes portes e segmentos, gerando enormes prejuízos financeiros e também relacionados à reputação. 

Nesse sentido, os riscos fiscais podem ser mitigados por meio de uma gestão fiscal eficiente, consultoria especializada e o cumprimento rigoroso das obrigações fiscais.

Riscos de Conformidade

Os riscos de conformidade estão relacionados ao descumprimento de normas internas e externas, podendo ser problemas mais simples até os mais sérios e complexos, como práticas ilegais, por exemplo. 

Nesse caso, mitigar o risco significa estabelecer políticas claras de conformidade alinhadas aos interesses da organização, promover treinamento dos colaboradores e realizar auditorias regulares para garantir a conformidade com as leis e regulamentações vigentes.

Riscos Financeiros

Já os riscos financeiros estão associados ao seu fluxo de caixa e perdas de capital, sendo que eles podem abranger riscos fiscais e ameaças que podem impactar o capital de giro e o patrimônio, afetando a saúde financeira da organização, que inclui dívidas, inadimplência, etc.

Para mitigar o risco financeiro, é preciso adotar práticas sólidas de gestão financeira, diversificação de investimentos, entre outros. 

Riscos Estratégicos

Os riscos estratégicos podem estar associados a aspectos internos e externos, como crises econômicas, políticas, mudanças tecnológicas, legislação, etc, que podem impactar os negócios e também o mercado de atuação. 

A mitigação de riscos, nesse caso, envolve a implementação de planos estratégicos sólidos, avaliação contínua do ambiente de negócios e flexibilidade para ajustes.

Riscos Operacionais

Os riscos operacionais estão diretamente ligados  às operações de uma empresa, podendo resultar em perdas significativas. 

Entre eles podemos citar falhas em operações, erros humanos, dados incorretos e problemas em relações internas, prejudicando o alcance de metas. 

A mitigação desses riscos ocorre por meio de melhorias nos processos, investimento em tecnologia, treinamento adequado e implementação de medidas de controle.

Exemplos De Como A Mitigação De Riscos Funciona

Para você entender como ocorre uma ação para mitigar o risco, é importante compreender que esse processo envolve diferentes fases que, por sua vez, podem ser modificadas de acordo com o perfil da empresa e com o ramo de atuação.

Confira alguns exemplos de como mitigar riscos funciona no cenário empresarial:

Diagnóstico

A primeira etapa é a de diagnóstico, como o próprio nome sugere. Esse estágio consiste na avaliação do ambiente interno, identificando áreas e processos que são mais susceptíveis a riscos.

Mapeamento

Após a realização dessa análise dos setores mais vulneráveis, a etapa seguinte busca a identificação dos tipos de riscos, que podem impactar cada setor de uma empresa. Além disso, essa fase exige ainda a definição das estratégias de controle correspondentes.

Definição De Níveis De Prioridade

Outra etapa para mitigar o risco é definir os níveis de prioridade de uma empresa. Essa fase é ainda mais importante, porque é justamente ela que direciona os esforços e recursos para cada ação de mitigação de risco.

Esse processo envolve o entendimento do impacto dos riscos identificados nas atividades da empresa e a determinação dos riscos que justificam um gerenciamento mais focado.

Elaboração De Plano De Ação

Nesta fase para mitigar o risco, é hora de elaborar o plano de ação. Lembrando que tipo de risco demanda uma ação específica, que pode ser das mais diversas, desde a criação de novos códigos de ética e conduta até adoção de uma rotina de auditorias internas, por exemplo..

Prevenção E Monitoramento

Após a identificação e combate dos potenciais riscos, é preciso adotar uma ação preventiva, que consiga antecipar eventuais problemas, proporcionando uma abordagem mais controlada e direcionada na tomada de decisões.

Análise e Priorização de Riscos

No ambiente empresarial contemporâneo, caracterizado por sua rápida evolução e complexidade crescente, a análise e priorização dos riscos emergem como componentes cruciais da gestão estratégica.

A mitigação de riscos não é apenas uma questão de segurança, mas um imperativo de negócios que influencia diretamente a resiliência, a competitividade e a sustentabilidade de uma organização.

Duas atividades importantíssimas merecem destaque:

  • Análise de Riscos: Esta é a etapa inicial e uma das mais críticas no processo de gestão de riscos. Envolve a identificação sistemática e a avaliação da probabilidade e impacto de eventos incertos. Ao compreender o espectro de possíveis ameaças — desde interrupções cibernéticas até desastres naturais e flutuações de mercado — as empresas podem desenvolver estratégias informadas para lidar com potenciais adversidades. Uma análise de riscos robusta permite às organizações não apenas antecipar o que pode dar errado, mas também preparar respostas eficazes.
  • Priorização de Riscos: Nem todos os riscos são iguais; alguns podem devastar uma empresa, enquanto outros podem ser inconvenientes menores. A priorização permite que as empresas concentrem seus recursos e atenção onde o impacto na empresa é maior, otimizando tempo e uso de recursos limitados. Ao classificar riscos com base em sua severidade e probabilidade, as organizações podem alocar esforços de mitigação de forma mais eficaz, focando em riscos que apresentam as ameaças mais significativas para seus objetivos estratégicos.

Estruturação Das Estratégias Do Plano De Mitigação

Para estruturar um plano de mitigação de riscos, o primeiro passo é identificar todas as ameaças possíveis no ambiente organizacional, como citamos na seção anterior, inicie pela análise e priorização dos riscos.

Se possível, reúna a equipe, coletando opiniões, danos e insights para tornar essa gestão de riscos ainda embasada e sólida, evitando que nenhum fator fique de fora das ações para mitigar o risco

Após o levantamento de todos os possíveis riscos, mensure-os e analise os possíveis impactos.

É importante calcular de forma numerada a probabilidade de cada risco. Normalmente é usada uma matriz para classificar o risco, cruzando informações de impacto x probabilidade.

Com isso, é possível elaborar um planejamento de respostas direcionado para eventos altamente prováveis e de grande repercussão. 

É importante ainda criar estratégias para eventos menos prováveis, mas que podem acontecer e comprometer os objetivos da empresa.

Faça uma análise do risco geral, que é obtido pela soma dos valores dos riscos divididos pelo número de riscos, sendo uma medida importante para avaliar a viabilidade do projeto ao longo do tempo. 

Não deixe também de fazer um monitoramento frequente, especialmente após a aplicação do plano de mitigação de risco, que reduz os números isolados dos riscos. 

Tenha atenção também à mudança de cultura interna para reduzir os riscos organizacionais, pois a eficácia do plano de mitigação de risco depende da adesão de toda a equipe.

Quais Ferramentas Ajudam A Mitigar Riscos?

Hoje em dia, há muitas ferramentas que podem ser usadas para mitigar o risco, como a matriz de risco, uma ferramenta que utiliza a relação entre probabilidade e impacto para avaliar os diversos tipos de ameaças enfrentadas pela empresa.

Essa ferramenta categoriza os riscos com base na probabilidade de ocorrência: baixa, média e alta, e também seu impacto, que pode ser leve, moderado, grave e gravíssimo. 

A partir disso, a matriz de risco é elaborada considerando o quadrante em que cada risco se situa. 

Outra ferramenta é o Business Intelligence (BI), ferramenta que utiliza dados e matemática para direcionar os gestores na tomada de decisões e na análise dos seus resultados, sendo que ela também pode ser usada para o levantamento das informações.  

Ao ser integrado às políticas de conformidade de uma empresa, o BI auxilia as empresas a fazer uma gestão de riscos mais efetiva, já que essa tecnologia faz a coleta e a  análise de dados de forma abrangente,  além de automatizar processos e tarefas importantes.  

No que se refere à proteção de dados, uma ferramenta indispensável são os sistemas de backup, especialmente, o método de armazenamento em nuvem, que garante a segurança das informações e arquivos de uma empresa diante de um risco, que pode ser um ataque hacker, falha de sistema, desastre natural, disseminação de vírus, etc. 

Conclusão

Adotar estratégias para mitigar o risco é essencial para garantir a proteção, a sustentabilidade e o sucesso de um negócio a longo prazo. Portanto, se a sua empresa ainda não adota essas ações, é bom começar agora para evitar danos à sua empresa.

Saiba que uma das formas de mitigar o risco digital em uma empresa é adotar sistemas de proteção de dados para a continuidade das operações, como os softwares de backup em nuvem, como as soluções da HLTI.

Somos uma empresa especializada em backup em nuvem e nos produtos Backup PRO e Veeam Backup & Replication, utilizamos essa tecnologia para cópias de segurança e proteção de dados.

As soluções usadas pela HLTI são compatíveis com diversos sistemas, aplicações, bancos de dados e virtualização, proporcionando a segurança dos dados da organização.

Acesse o nosso site agora mesmo e encontre as melhores soluções para o backup de dados da sua empresa. 

2022. Todos os direitos reservados. Criado por @setezeromeia.