Guia Com Tudo Sobre Migração Para Cloud Computing

Migração Para Cloud Computing
banner-agendamento-online

A sua empresa já utilizou a migração para cloud computing? Saiba que essa tecnologia tem ganhado destaque em empresas de diversos portes e segmentos, principalmente, por conta da flexibilidade, redução de custos e segurança. 

Além dessas vantagens, a migração para cloud computing também possibilita processos mais fáceis e otimização de procedimentos diversos.

Quer saber o que é cloud computing, quais as suas vantagens, como funciona e os principais motivos de adotar essa solução na sua empresa ou organização?

Vem com a gente e confira um guia completo sobre migração para nuvem.

O Que É Cloud Computing (Para Leigos)?

Cloud computing ou computação em nuvem é uma tecnologia de computação, que utiliza recursos, como armazenamento, servidores, bancos de dados, segurança e redes, acessando todos estes recursos por meio da internet.

Ou seja, ao invés de armazenar e processar os dados da sua empresa em servidores ou dispositivos de sua propriedade, é possível usar recursos de armazenamento e processamento de informações que funcionam de maneira remota por meio da nuvem.

A computação em nuvem é muito parecida com o Uber. Claro, cada um no seu contexto! Vamos fazer uma analogia entre computação em nuvem e o Uber para você entender:

  1. Acesso Sob Demanda: Tanto os serviços de computação em nuvem quanto o Uber oferecem acesso sob demanda aos seus usuários. No Uber, os passageiros podem solicitar um carro quando precisam, e na computação em nuvem, os usuários podem acessar recursos de TI conforme necessário, como servidores, armazenamento e software.
  1. Escalabilidade: Assim como o Uber pode se ajustar à demanda dos passageiros, a computação em nuvem também fornece escalabilidade. Os serviços em nuvem permitem que os usuários aumentem ou diminuam os recursos de computação de acordo com suas necessidades, sem a necessidade de investir em infraestrutura física adicional.
  1. Flexibilidade: Tanto o Uber quanto a computação em nuvem oferecem flexibilidade aos usuários. No Uber, os passageiros podem escolher entre diferentes tipos de veículos e serviços, como UberX, Uber Black, etc. Da mesma forma, a computação em nuvem oferece uma ampla gama de serviços, como infraestrutura como serviço (IaaS), plataforma como serviço (PaaS) e software como serviço (SaaS), para atender às necessidades específicas dos usuários.
  1. Pagamento Pelo Uso: No Uber, os passageiros pagam apenas pelas viagens que realizam, com base no tempo e na distância percorrida. Da mesma forma, os serviços de computação em nuvem seguem um modelo de pagamento pelo uso, permitindo que os usuários paguem apenas pelos recursos de TI que consumiram, seja por hora de uso, capacidade de armazenamento ou outros critérios semelhantes.
  1. Conveniência e Facilidade de Uso: Tanto o Uber quanto a computação em nuvem são projetados para fornecer uma experiência conveniente e fácil de usar. No Uber, os passageiros podem solicitar um carro com apenas alguns toques no aplicativo móvel. Da mesma forma, os serviços em nuvem oferecem interfaces simples e intuitivas para que os usuários possam acessar e gerenciar seus recursos de computação de maneira eficiente.

Essas analogias destacam como os serviços de computação em nuvem e o Uber compartilham características semelhantes, como acesso sob demanda, escalabilidade, flexibilidade, pagamento pelo uso e conveniência. Ambos os serviços visam fornecer uma experiência conveniente e personalizada aos usuários em seus respectivos domínios.

Como Surgiu O Cloud Computing?

A tecnologia cloud computing teve início em 1961, quando John McCarthy, um cientista de computação propôs no Massachusetts Institute of Technology (MIT), esse conceito de computação compartilhada. Aliás, ele também é o pai da inteligência artificial.

Para você entender, o cientista apresentou a possibilidade de um computador ser usado de maneira compartilhada e ao mesmo tempo, como um serviço de utilidade pública. 

Em 1962, J. C. R. Licklider, um cientista da computação propôs também a criação de uma “Rede Intergaláctica de Computadores”, que funcionaria de maneira bem parecida com a internet. 

A partir daí, essa tecnologia passou a ser desenvolvida, tornando-se, atualmente, um recurso essencial e muito usado no dia a dia de empresas e de pessoas comuns. 

Como Funciona A Migração Para Cloud Computing?

A migração para o cloud computing funciona com a finalidade de mover os dados e sistemas de um lugar para o outro que, no caso, é a nuvem, um servidor remoto acessado por meio da internet e disponibiliza recursos de processamento, armazenamento e virtualização.

Além de executar a  migração para a cloud computing, esse processo também pode auxiliar na reorganização de dados e digitalização dos processos em um ambiente virtual seguro, prático e de fácil acesso.  

Para você entender, esse processo é composto por três etapas, que incluem as fases de planejamento, implantação de soluções tecnológicas e execução. 

Na etapa de planejamento acontece o levantamento dos dados existentes e das necessidade de uso e acesso às informações. 

A etapa 2 inclui a contratação de soluções e provedores em nuvem para oferecer o serviço de maneira segura e eficiente, levando em consideração o volume de dados de cada empresa. 

A última etapa envolve treinamento dos profissionais envolvidos e a criação de processos para que a migração para cloud computing seja feita de maneira adequada e consistente para que as demandas sejam atendidas com eficiência e produtividade. 

Quais São Os Motivos Para Realizar A Migração Para Cloud Computing?

A migração para cloud computing é um processo que tem sido ampliado nas organizações por uma série de motivos. Listamos os principais logo abaixo!

Infraestrutura Para Gestão Data-Driven

A infraestrutura para data-driven possibilita um armazenamento de dados escalável, permitindo dimensionar os arquivos de acordo com a capacidade de armazenamento, sem precisar investir em dispositivos ou hardware físico adicional. 

Uma infraestrutura para gestão data drive também proporciona um processamento eficiente de altos volumes de dados em tempo real, além de executar algoritmos complexos e realizar análises avançadas de forma ágil, permitindo tomada de decisões rápidas.

Disponibilidade 

Outro motivo para realizar migração para cloud computing é a disponibilidade dos recursos para todos os colaboradores e agentes, facilitando as atividades entre as equipes e permitindo as colaborações mais eficientes e em tempo real. 

Elasticidade E Escalabilidade

A migração para cloud computing também permite maior elasticidade e escalabilidade, já que a nuvem consegue dimensionar os recursos de computação, conforme a necessidade e demanda de cada empresa. 

Com isso, uma organização consegue lidar com o aumento de dados e com o atendimento de demandas diante do crescimento do negócio.

Gestão De Custos

Outro ponto que merece destaque ao adotar a migração para cloud computing é a possibilidade de fazer uma melhor gestão de custos, já que dá para contratar espaços a partir da necessidade da empresa, podendo aumentar ou diminuir o pacote contratado. 

Ou seja, a empresa pode contratar apenas o espaço necessário para as suas atividades, otimizando, assim, os investimentos e evitando desperdício de recursos. 

Segurança Da Informação

Ao adotar a migração para cloud computing, sua companhia consegue garantir a segurança das informações.

Isso porque, a nuvem usada nesse processo oferece um controle de acesso restrito, permitindo apenas que usuários autorizados ingressem no sistema. Sem contar que em situações suspeitas de acesso, a tecnologia emite alertas de segurança.

Quais São Os Maiores Desafios No Processo De Migração Para Cloud Computing?

A migração para cloud computing é um processo muito vantajoso para as empresas, no entanto, ao adotar essa prática, saiba que há muitos desafios que precisam ser conhecidos. 

Listamos os principais abaixo, confira:

Acesso Constante À Internet

Um dos grandes desafios da migração para cloud computing, sem dúvida, é o acesso constante à internet. Isso porque, sem a conexão online, não há como acessar o sistema em nuvem. 

Com isso, para sua operação é imprescindível que haja uma boa conexão com a internet, possibilitando, assim, uma migração para a nuvem segura, eficiente, ágil e completamente estável. 

Sendo assim, o ideal é contratar um provedor de internet que ofereça alta performance. 

Proteção De Dados

A proteção de dados também é outro desafio para a migração para cloud computing; afinal, hoje em dia, os ataques cibernéticos estão cada vez mais modernos e eficientes. 

A nuvem pública, por exemplo, tem um alto desempenho, principalmente, no que se refere à proteção contra vazamentos de dados, inconsistências e vulnerabilidades de segurança. 

Por isso, o ideal é sempre contratar um fornecedor de tecnologia confiável e que forneça todos os recursos de segurança necessários. 

Definição De Estratégia De Migração Para Cloud

A definição de estratégia de migração para a cloud computing também é um dos desafios nesse processo, pois, muitas empresas pulam essa etapa tão importante. 

Por isso, não faça a migração para a cloud sem antes desenvolver e simular uma estratégia segura e eficiente.

Sendo assim, escolha o melhor provedor, considere a análise de custos, o tempo de inatividade e o tempo ideal para concluir a migração.

Todos esses cuidados são necessários, pois o processo de migração para a cloud computing pode demorar muito tempo, dependendo do volume dos arquivos e sistemas envolvidos.

Treinamento De Funcionários Sobre A Migração

Treinar os funcionários também pode ser um desafio para as empresas ao fazer a migração para cloud computing, pois há muitas pessoas de diferentes setores envolvidas no processo.

Por isso, o processo de implantação deve incluir treinamentos de todos os processos que lidam com dados, evitando, assim, problemas futuros. 

Quando Vale A Pena Fazer A Migração Para Cloud Computing?

Vale a pena executar a migração para cloud computing em diferentes situações.

Uma delas, sem dúvida, é a necessidade de obter maior escalabilidade e flexibilidade, principalmente, para empresas que possuem altas demandas de recursos de computação.

Nesse sentido, a nuvem consegue escalar recursos, a partir da necessidade de cada empresa.

Além disso, se a sua empresa necessita economizar no armazenamento de arquivos digitais, fazer a migração para a nuvem pode ser vantajoso, já que, normalmente, o modelo de contratação é baseado no consumo de espaços de armazenamento.

Sendo assim, sua empresa pagará apenas pelo espaço consumido e serviços utilizados.

Sem contar que você também não precisa investir recursos em infraestrutura física, que normalmente tem um custo significativo para o caixa da empresa. 

Outro ponto que merece destaque é que a computação em nuvem é uma tecnologia em que boa parte da manutenção de sistemas, segurança e equipamentos é automatizada e feita pelo provedor de nuvem, reduzindo a carga de trabalho das equipes de TI das empresas e reduzindo custos operacionais. 

Para as empresas que precisam de acesso e colaboração de profissionais de maneira remota e em tempo real, fazer a migração para cloud computing é uma escolha acertada, já que a tecnologia permite a colaboração de usuários distribuídos geograficamente.

Em caso de perda de arquivos em ataques cibernéticos ou desastres naturais, sua empresa consegue recuperar as informações de maneira rápida, evitando que as atividades sejam paralisadas, pois, a nuvem utiliza uma rotina de backups periódicos.

Certifique-se que o seu provedor de nuvem fornece o backup e se o seu contrato está coberto por ele.

Quais Os Riscos Dos Ambientes de TI On-Premises Em Comparação Com Cloud Computing?

Em resumo, TI on-premises significa que uma organização é responsável por adquirir, configurar, gerenciar e manter toda a infraestrutura de TI internamente, incluindo servidores, equipamentos de rede, sistemas de armazenamento e outros componentes.

Isso requer espaço físico adequado, recursos de energia, refrigeração, segurança e equipe de TI para operar e dar suporte aos sistemas.

Existem vários riscos relacionados com a utilização de soluções on-premises (locais) em comparação com as soluções de cloud computing como, por exemplo, o custo inicial em infraestrutura local, que exige altos investimentos em dispositivos físicos, como hardware, servidores, redes, armazenamento, etc. 

A infraestrutura local possui uma escalabilidade limitada; sendo assim, sua empresa precisa prever e provisionar recursos extras com antecedência, podendo resultar em subutilização ou falta de capacidade durante picos de demanda.

Outro risco, sem dúvida, é a necessidade de manutenção e atualizações, já que uma estrutura local exige atividades de manutenção, monitoração, atualização e outros cuidados para mantê-la em pleno funcionamento. 

A falta de flexibilidade geográfica também é outro risco, já que a infraestrutura on-premises é fixa, limitando a capacidade de acesso e colaboração de usuários que não estejam no mesmo local das soluções on-premises.

Claro, é possível acessar o ambiente On-promises de fora da empresa, mas são mais investimentos, gerenciamento, serviços e preocupação para o time de TI interno.

Sem contar que a recuperação de desastres e continuidade dos negócios em estruturas locais podem ser mais complexas e difíceis, principalmente, se a sua empresa não mantém uma rotina de backup, replicação ou tenha planos de contingência para mitigar os impactos de falhas e interrupções.

Garantir a segurança em uma infraestrutura local exige também a implementação de medidas imprescindíveis, como firewalls, sistemas de detecção de intrusões, políticas de acesso e proteção física dos recursos. 

Lembrando que a ausência desses recursos podem resultar em vulnerabilidades e exposição a riscos.

Como Migrar Para A Nuvem?

A migração para a nuvem é um processo que possui várias etapas, exigindo, assim, um planejamento prévio e cauteloso para garantir uma transação segura, tranquila e adequada. 

Para fazer a migração para cloud computing, a primeira fase é fazer uma avaliação das necessidades e desenvolver uma estratégia eficiente.

Sendo assim, é importante fazer uma análise minuciosa das necessidades e objetivos da sua empresa para, dessa forma, definir os dados que devem ser migrados para a nuvem.

Análise ainda aspectos, como custo, segurança, escalabilidade e flexibilidade.

A etapa seguinte é definir o modelo de nuvem que atende às necessidades do seu negócio. Você pode optar, por exemplo, pela nuvem pública, privada ou híbrida. 

Escolha também o provedor de serviços em nuvem mais adequado para o perfil e demandas do seu negócio.

Dessa forma, o ideal é fazer uma pesquisa e avaliação dos provedores de serviços em nuvem disponíveis no mercado.

Contrate aquele fornecedor que possua reputação no mercado, entenda quais são os serviços oferecidos, qual o nível de suporte disponibilizado e quais os custos da contratação.

Na hora de fazer a migração para cloud computing, identifique os arquivos e sistemas que devem ser migrados para a nuvem a partir de um levantamento minucioso dos dados. 

Não deixe de criar também uma estratégia de backup e recuperação de dados adequada para garantir o acesso aos arquivos em caso de incidentes.

Além disso, verifique também quais são as ferramentas de migração em nuvem ou a necessidade de criar scripts personalizados.

Para a migração de aplicativos e serviços, faça um bom planejamento de serviços usados, que pode ser o re-hospedagem (lift and shift), onde é possível fazer a migração dos aplicativos como estão, ou reestruturação (refactoring), que faz o redesenho dos aplicativos para aproveitar os recursos da nuvem. 

Não deixe de fazer testes e simulações  dos aplicativos antes de fazer a migração, para garantir que todos estejam em pleno funcionamento depois quando estiver migrado e em produção na nuvem.

Para migrar os dados para a nuvem, é preciso incluir ainda uma etapa de configuração e otimização da estrutura em nuvem de acordo com as necessidades do seu negócio.

Isso inclui a configuração de redes, servidores, armazenamento, segurança, etc.

Faça também testes, a fim de assegurar que os aplicativos e serviços em nuvem  operem de maneira correta. Análise, por exemplo, a escalabilidade, desempenho, segurança e recuperação de desastres.

Promova também treinamento para sua equipe e uma rotina de monitoramento e gerenciamento contínuo com o uso de ferramentas para acompanhar o desempenho, a segurança e a disponibilidade dos recursos em nuvem. 

Conclusão

Hoje em dia, a  migração para cloud computing é essencial para empresas dos mais variados setores e tamanhos, principalmente, por possibilitar a segurança dos dados digitais e agilidade dos processos e rotinas internas. 

Além disso, esse processo também pode auxiliar na reorganização de dados e digitalizando os processos em um ambiente virtual seguro, prático e de fácil acesso.  

Contrate uma empresa especializada em migração para nuvem para que o negócio não seja impactado e também seja mantido seguro e em bom funcionamento.

A HLTI é especializada e pode ajudar a sua empresa, conheça nosso método Nuvem Fácil.

Se você quer garantir a segurança de todas as informações da sua empresa, não deixe também de contratar uma solução de backup para a sua empresa, pois ela manterá seus dados seguros e sempre disponíveis.

Somos especializados em backup em nuvem e no produto Backup PRO, uma tecnologia compatível com diversos sistemas, aplicações, bancos de dados e virtualização, proporcionando a segurança dos dados da organização.

O Backup PRO é uma solução que permite ainda que sua empresa acesse e recupere seus dados de forma fácil e rápida, além de enviar diariamente relatórios das atividades de backup para acompanhamento da qualidade do serviço. Conheça a nossa solução!

2022. Todos os direitos reservados. Criado por @setezeromeia.